Alguns ‘cases’ rápidos e simples, de como podemos usar javascript para melhorar a vida do usuário, sem estragar a navegação dele, e ainda deixar tudo funcionando, caso não haja suporte a js, ou o script simplesmente pare de funcionar.

confirm() indo para uma página

<html>
<head>
<script type="text/javascript">
function id( el ){
	return document.getElementById( el );
}
window.onload = function(){
	id('link').onclick = function(){
		return confirm( 'Deseja ir para '+this.href+' ?' );
	}
}
</script>
</head>
<body>
	<a href="http://wbruno.com.br" id="link">wbruno</a>
</body>
</html>

Veja que o código javascript é super simples. Não precisa de muito, e nem de nada complicado.

confirm() em um formulário

<html>
<head>
<script type="text/javascript">
function id( el ){
	return document.getElementById( el );
}
window.onload = function(){
	id('form').onsubmit = function(){
		return confirm( 'Tem certeza que deseja enviar o formulário ?' );
	}
}
</script>
</head>
<body>
	<form action="" method="post" id="form">
		Email: <input type="text" name="email" />
		<input type="submit" name="ok" value="ok" />	
	</form>
</body>
</html>

Algumas aplicações que vejo são: ‘confirmar exclusão de registro’ (tanto pelo link direto, qnto pelo formulário), confirmar abertura de link externo, onde o usuário ‘sai’ do teu site…

A metodologia é simples: ‘Faça funcionar mesmo sem suporte a javascript’.

O difícil é a maioria dos programadores de hoje em dia, levarem em consideração ela.